Abação Abraça a Leitura

Iniciou-se com as turmas do 2º e 5º anos, um projeto de avaliação de competências de leitura (inserido – podemos inserir em Abação abraça a leitura? ou outro), nomeadamente, a precisão e a fluência de leitura através do desempenho na leitura em voz alta, compreensão da leitura e compreensão oral (através da audição de textos).

Este projeto resulta de uma parceria entre os docentes de português, docentes titulares de turma, professores de apoio educativo, biblioteca escolar e serviço de psicologia e orientação e pretende traçar uma linha de base do desempenho dos alunos na leitura, que posteriormente será analisada e definidas estratégias e atividades de promoção. 

“Leitura de Todos para Todos”

No âmbito do projeto Leitura de Todos para Todos, o livro “Ensinamento de Santiago” da autora Ana Caridade está em fase de implementação, em forma de experimentação, nas escolas do 1º ciclo do nosso Agrupamento. É um projeto de Educação Artística que visa a aprendizagem da identificação e gestão das emoções.

Concurso Literário “O Som das Palavras”

No âmbito da Semana Concelhia da Leitura 2020, a Câmara Municipal de Guimarães, através da Biblioteca Municipal Raul Brandão e da Rede de Bibliotecas Escolares, desafia os alunos das escolas do concelho a produzir um texto original e criativo relacionado com o tema O Som das Palavras.

São objetivos desta iniciativa:

a) fomentar e consolidar hábitos de escrita e leitura;

b) promover a escrita e valorizar a expressão literária;

c)  promover a criatividade e a imaginação.

O concurso destina-se a jovens do 1.º Ciclo do Ensino Básico ao Ensino Secundário de qualquer estabelecimento de ensino do concelho de Guimarães, distribuídos por quatro escalões:

A – 3.º e 4.º anos;

B – 5.º e 6.º anos;

C –7.º ao 9.º ano;

D – Ensino Secundário.

As modalidades sâo:

Escalão A [1.º ciclo – alunos do 3.º e 4.º anos]: letra original (para uma música previamente selecionada) ou letra e música originais relacionadas com o tema O Som das Palavras [1 trabalho por turma];

Escalão B [2.º ciclo]: texto poético subordinado ao tema O Som das Palavras com o máximo de uma folha A4 datilografada (frente e verso);

Escalão C [3.º ciclo]: conto original que integre na sua estrutura elementos musicais, com o máximo de 2 folhas A4 datilografadas (frente e verso);

Escalão D [Ensino Secundário]: um comentário pessoal e livre sobre a afirmação de Bono Vox (vocalista dos U2) – “A música pode mudar o mundo, porque pode mudar as pessoas” ou texto livre em que o candidato escolha um poema ou a letra de uma música da sua preferência, justificando, convenientemente, a sua opção [máximo de 2 folhas A4 datilografadas (frente e verso)].

Condições de participação:

Cada documento, datilografado, deve ter, além do texto e título, um pseudónimo e a identificação do ciclo a que concorre.

No caso do Escalão A, também deverá ser entregue uma pen drive com a gravação áudio da música (a pen será posteriormente devolvida).

A responsabilidade pela seleção dos trabalhos é decidida internamente por cada agrupamento de escolas ou escola não agrupada.

Cada agrupamento poderá concorrer com um máximo de 2 trabalhos por ciclo.

Os trabalhos a concurso deverão ser entregues em envelope fechado (um envelope por agrupamento). No seu interior deverá constar também, um outro envelope fechado com a identificação dos autores (pseudónimo, nome completo, ano, turma e escola).

Os autores dos trabalhos, ao participarem no concurso, autorizam, sem qualquer remuneração em troca, a divulgação e publicação dos mesmos.

Prazo:

Entrega dos textos na Biblioteca Escolar – até 14 de fevereiro de 2020.

Não percas esta oportunidade! Concorre!

“Viajante de Palavras”

Lembram-se do projeto “Viajante de Palavras”?

Com este projeto pretende-se, conhecer e avaliar os hábitos de leitura dos alunos do 2º ciclo e consciencializá-los para a extrema importância da leitura e seu reflexo no processo de ensino e aprendizagem.

Pretende-se, ainda, formar verdadeiros leitores e dotá-los de competências de dinâmicas de leitura para que possam ser pró-ativos e serem dinamizadores de atividades com outros níveis de ensino. Procura-se estimular diversas formas de literacia (digital, gratuita, familiar…).

Nesta primeira fase, os nossos objetivos foram cumpridos:

  • Avaliamos os hábitos de leitura;
  • Alertamos para a importância da leitura;
  • Dotamos alunos de competências leitoras;
  • Aumentamos o número de leitores autónomos.

No final do período foi feito um levantamento dos livros mais lidos pelos alunos de 5º e 6º anos a que chamamos TOP 10 e que passamos a divulgar:

Continuem a viajar com os livros! Leitura é Vida!

As Maçãzinhas

Mais uma vez, no nosso Agrupamento, os alunos do 9ºano simularam o número das Maçãzinhas. As “Maçãzinhas” são o número mais importante e significativo das Festas Nicolinas. O que se demonstra até pela data da sua realização, no dia de S.Nicolau (6 de dezembro), o dia mais importante dos festejos nicolinos. A magia das “Maçãzinhas” começa muita antes do dia 6 de dezembro. Desde logo, porque os rapazes têm de levar a sua lança, a lança que colocam no cimo das canas com que chegam às varandas, carregadas de fitas.

Este é um momento que conta com a organização da docente Anabela Silva e sempre muito aguardado pelos nossos alunos.

3 de dezembro – Dia da pessoa com deficiência

‘Diferentes Vozes para uma Sociedade Inclusiva’ foi o tema do espectáculo que decorreu no dia 3 de dezembro no Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, para celebrar o Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.

O nosso Agrupamento não podia deixar de estar representado e fê-lo de forma exemplar: alunos do 5º ano, alunos do CAA, clube de música, assistentes operacionais e professores fizeram um “Tributo a Amália”. Um espetáculo que envolveu a Comunidade Escolar.

Contos Silenciosos

Lembram-se dos “Cuentos silenciosos”?

Pois bem, aqui fica a história coletiva da Escola Básica de S. Faustino !

Um olhar dos alunos da Escola Básica de S. Faustino

Era uma vez uma menina chamada Alice que tinha dois grandes amigos: o Peter Pan e a Polegarzinho.

Um dia, o Peter Pan desapareceu. Alice, preocupada, foi junto da flor da Polegarzinho para perguntar se tinha visto o Peter Pan, mas esta disse que não sabia onde ele estava. Então, as duas juntas, decidiram ir procurá-lo. O primeiro sítio onde procuraram foi no Parque. Não estava lá. Depois, procuraram na Floresta.

Entraram pela Floresta dentro. Era um lugar assustador, mas ao mesmo tempo mágico e encantador.

Encontraram um pedaço da camisola do Peter Pan rasgada. A dada altura, ouviram um ruído. Assustados, mas curiosos, foram ver o que se passava.

Viram, ao longe, um urso à procura de um lugar para dormir.

Nesse lugar onde o urso se encontrava, havia pegadas que pareciam ser dos sapatos do Peter Pan.

Esperaram que o urso adormecesse para poderem passar junto dele, com pezinhos de lã, sem que ele acordasse. Aí, aperceberam-se que as pegadas iam até à montanha. Em direção à montanha, a meio do percurso, encontraram um sapato de Peter Pan.

Perto do sapato, havia uma gruta grande e escura. Hesitaram em entrar, mas Alice lembrou-se que tinha uma lanterna no bolso. Pegou nela para iluminar a gruta. Entraram e, qual foi o seu espanto, quando foram atacados por uma quantidade enorme de morcegos. Esconderam-se atrás de uma rocha que estava dentro da gruta para se protegerem daqueles animaizinhos negros e voadores.

Entretanto, repararam que o sapato que faltava estava lá:

– Já aqui temos os dois sapatos e um pedaço da camisola. Onde estará o Peter Pan? – perguntou Alice.

De repente, ouviram uma vozinha a pedir socorro.

– Socoooooooorrooooooo! Eu estou aquiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

Olharam à volta, mas não viram ninguém. Subitamente, viram uma ponte. Depois de a atravessarem, repararam numa gaiola onde o Peter Pan estava preso.

Ao lado da gaiola, estavam dois grandes ursos, bem acordados, de olhos arregalados e assustadores. Um dos ursos tinha a chave da gaiola.

Naquele momento, viram uma nuvem de morcegos aproximarem-se dos ursos e, com as suas garras, levantá-los pelo ar. A chave caiu e Alice ao vê-la correu, apanhou-a e, com a ajuda dos morcegos, chegou atá à gaiola. Abriu-a e libertou o Peter Pan.

Como os ursos eram muito pesados e já se encontravam no chão, voltaram para dentro da gruta para apanharem Alice e a Polegarzinho.. Mas, já fora da gaiola, o Peter Pan atirou uns pós mágicos  às suas amigas para as fazer voar até à Lua. Já na Lua, fizeram uma grande festa, tocaram viola todo o dia e comeram marshmallows.

Ah! Os convidados especiais foram os morcegos!

E viveram felizes para sempre.

Lançamento de livro “Indra e Yohanna”

  • No âmbito do Com(P)artilha, projeto que funde a educação, arte e intervenção social visando um intercâmbio entre os países irmãos (Portugal, Cabo Verde e Timor), a Delegada Escolar de Ribeira Grande de Santiago, Dra Ernestina Rocha, foi recebida na sede do Agrupamentos de Escolas de Abação e foi feito o lançamento do livro “Indra e Yohanna – a poética do encontro” (texto: Ana Caridade, ilustração: Carla Monteiro, design: Whatdesign).

Foi formalizado o desafio feito pela Biblioteca Escolar do Agrupamento de Abação, conjuntamente com a Câmara Municipal de Guimarães, aos Agrupamentos de Escolas de Guimarães. Os Agrupamento de Escolas Professor Abel Salazar – Ronfe, Agrupamento Fernando Távora e Agrupamento João de Meira, parceiros que apadrinharam os Agrupamentos de Ribeira Grande de Santiago, estiveram representados pelos seus coordenadores.
Estiveram presentes os representantes do Município de Guimarães e Coordenador da Rede de Bibliotecas Escolares, Rui Festa.

O Agrupamento de Escolas de Abação acolheu de forma exemplar o lançamento do livro e foram criados momentos de pura magia… a Inácia Cruz fez a sessão de contos e a Carla Branco acompanhou criando ambientes musicais.

Agradecimento especial a todos os parceiros do projeto que nos apoiam e nos ajudam a acreditar que a Cooperação faz sentido e podemos contribuir para atingir os objetivos do desenvolvimento sustentável. Agradecimento especial ao Agrupamento de Escolas de Abação por querer inovar e contribuir para deixar exemplos de boas práticas.

Mudar a Educação é estar dentro do sistema a deixar sementes deixando de olhar para o pequeno umbigo e trabalho individual e abrir a visão para o global e trabalho colaborativo.

Projeto “Uma Imagem…uma História!”

Este projeto nasceu de uma parceria entre a Equipa da Biblioteca Escolar, Departamento de Expressões; Departamento de Línguas e SPO e da necessidade de desenvolver a Escrita Criativa.

Segundo vários estudos científicos apresentados, está cientificamente comprovado que a Escrita Criativa permite, através de exercícios práticos de escrita automática e espontânea, estimular a inteligência emocional e fazer com que cada indivíduo estimule os dois hemisférios do cérebro ao mesmo tempo. Ao estimular esse tipo de inteligência, o ser humano é capaz de ser mais criativo, dinâmico e concentrado e inovador em qualquer área da sua vida. A Escrita Criativa não pretende formar Escritores, mas pretende fomentar a concentração, estimular a criatividade , libertar a imaginação e enriquecer o vocabulário.

Assim, a partir de imagens selecionadas, todos os alunos do 3º e 4º anos, uma a duas vezes por período, criam uma história e desenham o pormenor da imagem que mais os chama à atenção. O objetivo é observar, ao longo do ano, a evolução dos alunos ao nível do enriquecimento vocabular, da concentração e da criatividade.

Estas foram as imagens da primeira sessão!