Palavras da Minha Família


A Biblioteca Escolar , no âmbito do projeto aLer+, lançou um desafio aos alunos do Agrupamento: motivar um familiar para criar um poema cujo tema é livre. 
A participação da comunidade tem sido de tal forma positiva que será elaborado um livro “acordeão” com os trabalhos recebidos. Serão, ainda, publicados neste blog 2 trabalhos por semana.
A criatividade não tem limites…afinal, temos verdadeiros poetas na nossa comunidade! 


A Escola
É dia de escola,
Todas a s crianças acordam cedo
Nas costas levam a sacola,
E de nada têm medo.
A primeira aula é Português
Os Lusíadas vão aprender
Eles só querem brincadeira
Mas assim não pode ser!
A professora na sala ensina
Os alunos atentos estão
No quadro ele escreve a matéria
Assim, cultos eles serão.
A segunda aula é Matemática
Muitos problemas têm de resolver
Há números por todo o lado
O seu raciocínio eles vão desenvolver!
Toca a campainha!
Saem a correr
Eles só querem brincar
Até anoitecer!
Poema de:  Ana Pereira

(tia de Guilherme Canha)



Cumplicidade de mãe e filha
              A mãe diz à filha:                                                                          A mãe diz à filha :
      – Vamos lá brincar!                                                                      -Que “melga” que és! J
              A filha, divertida,                                                                         A filha ofendida,
              Põe-se logo a cantar.                                                                   Arma logo banzés.
             A mãe diz à filha:                                                                           A mãe diz à filha:
            – Vamos ler um bocadinho!                                                        -Vamos lá parar!
             A filha aplicada,                                                                            A filha agitada,
            Vai para o seu cantinho.                                                             Leva tudo no ar.
            A mãe diz à filha:                                                                          A mãe diz à filha:
           – Vamos lá arrumar!                                                                     – Tem lá calma amor!
            A filha muito “cansada”,                                                              A filha enternecida,
            Vai-se logo deitar.                                                                          Muda logo de cor.
Ficam então rendidas
Com tanto “ calor”
A mãe e a filha
E tamanho amor
Poema elaborado por: Cidália (assistente técnica)
(mãe de Lara, 3º ano S. Faustino)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *